Little Africa in Rio de Janeiro | Uncle Brazil Podcast #05

Audio Transcript

Fala pessoal tudo bem? Bem-vindos ao Uncle Brazil Podcast. Aqui é o melhor lugar para praticar português e para conhecer um pouco mais sobre esse mundo chamado Brasil. O link para a transcrição desta entrevista está aqui na descrição do episódio. Pessoal, hoje eu vou conversar com a Dandara. A Dandara é guia de turismo e especialista no tour Little África aqui no Rio de Janeiro.

– Dandara seja bem-vinda conta um pouco da sua história pra gente por favor

– Olá muito obrigada Uncle pelo convite de participar do podcast eu sou a Dandara sou guia de turismo há quase nove anos na Cidade do Rio de

Janeiro apesar de ser guia de turismo há nove anos eu sou nascida e criada Numa cidade chamada Nova Iguaçu que está localizada em torno de uma hora da cidade do Rio então eu sempre gostei de me comunicar com as pessoas eu amo estudar a história então eu combinei as duas coisas quando eu tinha 18 horas quando eu terminei o ensino médio e eu vi a oportunidade de começar a estudar o curso de guia de turismo portanto eu comecei a estudar. Eu me formei E aí eu comecei a trabalhar promovendo alguns passeios culturais para os cariocas e também para os visitantes da cidade do Rio de Janeiro Então essa foi a minha primeira experiência então de Nova Iguaçu eu promovi os eventos para as pessoas da minha cidade e no Rio eu trabalhava com os estrangeiros que visitavam a cidade e que gostariam de ir visitar os pontos turísticos e outras pontos não tão óbvios

The complete content is available only to members.

Become a member for U$4/month and have access to all the content in my blog and other benefits 🙂


Become a member Already a member? Log in

– legal. uns roteiros mais alternativos né?

– exato

– o pessoal de Nova Iguaçu você trazia para o Rio de Janeiro para conhecer os roteiros alternativos daqui?

– sim. inicialmente eu comecei a promover algumas caminhadas culturais no centro da cidade do Rio onde eu apresentava os monumentos históricos, contava a história da cidade do Rio e durante esse tempo eu fui convidada por um colega chamado Wellington também guia de turismo a conhecer o roteiro da pequena África e quando eu foi quando eu fui introduzida a esse roteiro entre o ano de 2012 / 2016 a área foi redescoberta por conta dos grandes eventos que aconteceram na cidade iriam acontecer então muitas descobertas aconteceram e movimentou alguns pesquisadores professores e em 2016 houve um decreto da prefeitura da cidade do Rio de Janeiro em demarcar a região como um roteiro de herança histórica africana na Cidade do Rio de Janeiro e a partir daí vários guias da cidade começaram a promover o roteiro e pouco conhecido em 2016 eu fui introduzida E aí eu comecei a estudar inicialmente eu me conectei me identifiquei com os aspectos da história comecei a promover para os moradores de Nova Iguaçu então eu trazia os moradores de Nova Iguaçu pra cidade do Rio para contar a história dessa região, que é a região da pequena África

– que legal então um amigo um guia né de turismo que era seu amigo apresentou para você esse roteiro você gostou você se identificou com a história começou a estudar E A partir do momento em que você se sentiu confiante você começou a oferecer esse passeio primeiro para o pessoal de Nova Iguaçu. E como que você conhecia esse pessoal de Nova Iguaçu? boca-a-boca como que foi?

– Bom, quando eu terminei o curso de guia de turismo pela escola Senac eu criei um projeto que é o projeto da Janeiro Tour que inicialmente era para os moradores da minha cidade para promover excursões para diferentes destinos dentro e fora do Rio então levava as pessoas para Búzios para Arraial do Cabo do Vale do café contava história do Vale do café e fazer algumas caminhadas culturais

– legal. então através da Janeiro Tour que foi o projeto que você criou você começou a oferecer vários roteiros e inclusive esse roteiro Little África muito legal. E aí o seu projeto foi crescendo Até que em determinado momento você passou a receber pessoas de outros lugares né inclusive estrangeiros concorda?

– exatamente

– muito bom. Dandara Vamos então falar um pouquinho sobre esse tour Little África né Esse tour… Como que você descreveria esse passeio O que é o Little África

– O passeio Little África na verdade é um passeio que é uma caminhada guiada e conta a história dos povos africanos que foram trazidos pro Rio de Janeiro para o Brasil durante os 350 Anos de Escravidão então o Rio de Janeiro foi a segunda capital do Brasil e teve forte influência desses povos que contribuíram extremamente pra nossa identidade cultural então Nós visitamos o pontos enquanto eu vou contando um pouco sobre os elementos da nossa história né durante a evolução da história e aí é a gente consegue compreender como foi a formação da identidade cultural da identidade carioca sobre os elementos na na nossa a música na gastronomia sobre os aspectos religiosos que influenciaram a cultura carioca. E aí durante a nossa caminhada nós iniciamos lá na cidade do samba onde eu conto onde realizamos a visita onde contamos a história do carnaval né a durante a visita a gente consegue entender o carnaval como um todo as influências aqui na cidade como acontecia essa dinâmica a né no final do século 19 e como os os povos escravizados criaram a sua própria identidade, a criação de escola de samba e a partir de 1932 E aí depois da cidade do samba nós seguimos a nossa caminhada ali para mucab que é o museu de história afro-brasileira que é o museu novo foi reinaugurado agora em 2022 hoje possui um acervo onde a gente consegue visualizar o protagonismo negro na cidade dentro da arte de dentro de vários várias áreas né da nossa Cultura e o Muhcab inclusive é a primeira escola pública da América Latina criada por Dom Pedro Segundo então o acervo está localizado na primeira escola pública também interessante para começar né A nossa caminhada e falar um pouco sobre a diáspora Africana e logo depois da visita ao Muhcab nós caminhamos até o Instituto pretos novos que é um museu, no Instituto pretos novos foram enterrados entre 20 a 30 mil homens e mulheres capturadas e foram escravizadas na verdade eles nunca foram escravos no Brasil e quando desembarcavam no porto da cidade do Rio no cais do Valongo eles já chegavam mortos então o Instituto pretos novos serviu como um cemitério. uma vala na verdade onde eles eram jogadas juntamente com itens, cerâmicas e a cidade foi urbanizada foram criadas edificações e na edificação Onde foi descoberto o cemitério era a residência de um casal que em 1996 tava fazendo uma restauração E aí acabou encontrando este Sítio Arqueológico e foi a princípio eles acharam que seria uma chacina Mas eles chamaram o IPHAN que é a instituição Nacional de património histórico e artístico que visualizou que essa ossada se tratava de pessoas que estavam Ali há mais 100 anos ou seja escravizadas escravizadas que na verdade nunca foram escravos no Brasil foram capturados, cruzaram o oceano mas nunca foram escravos no Brasil Então nesse cemitério é, nesse instituto, antigo  antigo cemitério É bem interessante porque é o maior cemitério de toda a América e a visita acaba sendo bem é interessante desafiadores e a gente aprende  bastante sobre  essa dinâmica do mercado de escravos E aí depois do cemitério dos pretos novos nós seguimos a caminhada para o cais do Valongo então Cais do Valongo foi o principal Porto de entrada de Africanos escravizados no Brasil e nas Américas então durante 40 anos esse Porto ficou em uso ficou ativo recebeu em torno de um milhão de escravizados e ele foi redescoberto em 2017 Na verdade em 2017 ele foi reconhecido pela Unesco Mas ele foi redesoberto também durante a sua obra de revitalização que aconteceu em 2012 entre 2012/2016 e tem uma importância muito grande na chegada desses escravizadas no Brasil. E aí logo em seguida nós vamos até o Morro da Conceição antes de subir o morro da Conceição a gente consegue ver a casa de Tia ciata casa de Tia ciata é uma casinha amarela que tem logo ali ao lado das escadas no Morro da Conceição Tia Ciata foi uma baiana é mãe do so samba e do carnaval aqui no Rio de Janeiro uma baiana que se mudou para a cidade do Rio de Janeiro com 22 anos no final do século 19 então lá tem bastante importância. Ela foi quituteira… dentro das escolas de samba ela tem um tributo existe um tributo em homenagem a ela até hoje que é a ala das baianas E então conta um pouco a história de Tia Ciata e aí em cima ali caminhando pelo Morro da Conceição nós conseguimos visualizar a rua camerino a Praça dos estivadores logo em seguida nós descemos o Morro da Conceição lá pela Pedra do Sal na Pedra do Sal que é oficialmente reconhecida como um quilombo Urbano que tem grande influência. é um dos locais onde podemos dizer que tá reconhecido como o local de nascimento do Samba e do Carnaval carioca então o local se chama a Pedra do Sal e o vou contar um pouco sobre o porquê se chama pedra do sal e depois da Pedra do Sal nós caminhamos pra Praça São Francisco da Prainha. A praça São Francisco da Prainha é uma praça histórica bem interessante bem bonita que se chama São Francisco da Prainha justamente porque existiu uma praia ali mas com a urbanização da cidade né a Baía de Guanabara ela foi aterrada então nós temos uma rua ali, a Rua Sacadura Cabral e aí a Baía de Guanabara fica bem 300 metros atrás né mais adiante assim então a Praça também está na lista dos dez bairros mais Descolados do mundo então existe uma história interessante sobre o passado da diáspora africana, mas também é uma praça reconhecida atualmente pelos bares e música tem bastante gastronomia diferente, comidas

– legal Dandara E aí que termina o passeio, né? com o almoço gostoso nessa praça. Dandara, só pra gente finalizar conta para gente então por que se chama Pedra do Sal?

– a Pedra do Sal era um local onde era usado para secar e vender sal quando a água da Baía de Guanabara chegava bem até a entrada da Pedra do Sal então existiam vários depósitos no Morro da Conceição onde os escravizados desciam a Pedra do Sal para embarcar o sal que estavam nas embarcações eles colocavam para secar exatamente ali na pedra e depois levar para os depósitos que ficavam ali no Morro da Conceição então por isso que a pedra se chama Pedra do Sal

– Legal, Dandara. interessante eu tive a oportunidade de fazer esse passeio com você e eu recomendo para todo mundo é muito interessante é uma aula você dá uma aula no passeio. Dandara se a pessoa quiser fazer esse passeio com você como ela faz?

– bom, convido a todos a visitar o meu Instagram que é o @janeirotour e tem uma página do Facebook também chamada Janeiro Tour e Travel então todos podem me localizar nessas duas redes sociais tem o meu número de telefone onde eu posso o WhatsApp então Caso vocês tenham interesse podem entrar em contato para realizar o agendamento e eu mando detalhes sobre o ponto de encontro valores e tudo mais

– legal Dandara parabéns pelo projeto e boa sorte

– é isso Pessoal esse foi o Episódio de hoje Espero que tenham gostado não se esqueçam de compartilhar esse episódio com alguém que esteja estudando português ou com alguém que também seja apaixonado pela cultura brasileira até a próxima valeu.

Support my work – Apoie o meu trabalho

https://www.patreon.com/unclebrazil

Leave a Comment

Become a member and have access to all the content in my blog and other benefits

Become a memberAlready a member? Log in.
Back to Top Back to Bottom